A minha Buenos Aires é dos argentinos! – Aramburu

Voltei!

O motivo da ausência: fui comemorar meu aniversário com maridinho em Buenos Aires.

A justificativa é boa e estou perdoada, né?

Bem, foram alguns dias de sossego, temperatura agradável, modelitos “comfy chics”,previamente montados e fotografados, para não perder tempo escolhendo as peças durante a viagem,  muito bate perna para gastar as calorias da comilança e cineminha quase todo dia.

Essa semana darei algumas dicas de revirar os olhinhos!

Pra começar, esqueça La Cabrera, Las Lilas, Sucre, Faena … e todo aquele roteiro manjadão. Xô mesmice!

Vamos à Argentina dos argentinos!

A dica TOP de restaurante dessa viagem é o Aramburu Restó, em San Telmo.

Dê seu jeito e grave esse nome! Pra facilitar ainda mais a sua vida, a pronúncia correta é “Arambúru” e não “Aramburú”. 😉

O proprietário e chef Gonzalo Aramburu é de um rigor na execução e criação do menu que te faz desejar percorrer os 19 passos (como ele define o total de pratos que será oferecido) de novo  no dia seguinte. O restaurante está em 14o lugar no 50 melhores restaurantes da América Latina. E não é à toa! O atendimento é tipo exportação, a harmonização deixa qualquer um de queixo caído e ele conseguiu unir a prepotência  esquizofrênica da cozinha molecular com a comida caseira argentina.

Ah, se você não faz a linha phyna(o) e adora bater aquele pratão, pode ficar  traaaaaaanquila(o); você não sairá de lá com fome!

Pra você entender que esse lugar realmente é imperdível, a precisão vai além da cozinha. A concepção arquitetônica também foi milimetricamente calculada. O espaço é simples, minimalista, tem cerca de 15 mesas e um balcão que fica colado na cozinha para você poder observar tudo.  A cozinha, por sinal, fica mais alta que o nível do salão, dando a impressão de que os cozinheiros são deuses. Alguns até são! Com todo respeito, marido. 😉

Ainda sobre a decoração, que é um ponto importantíssimo na construção dessa experiência,  as paredes são grafite e um único armário do chão ao teto habita o salão, expondo todas as taças e louças que serão usadas. A iluminação destaca a comida e não quem a come, é uma luz totalmente direcionada ao centro das mesas onde o prato é servido. Ah, e vc de quebra ainda fica linda(o), porque a mesa vira um rebatedor e deixa qualquer pele um pêssego, o que é perfeito para o momento sedução.

Uma foto para ilustrar como a iluminação é fantástica.

 

VAMOS AO QUE INTERESSA!

Esse lombinho de porco “embaixo da moita”, foi apenas o melhor da vida.  Jésuis!

E aí, babou?

Dá uma olhadinha no menu da estação primavera!

É um abuso de ingredientes, texturas e sabores. Tem quinoa, ave, peixe, flores, foie gras, mostarda, vieira, carne de boi, caramelos, pepino, crosta, espuma, rolinhos, “gravetos”, caldas, “pastilhas”, sorbets… Uma loucuuuuuuura!

Foi, né? Acho que te convenci.

Pra fechar: leve dinheiro, pague em pesos, o cambio oficial cobrado pelo cartão de crédito deixa a conta estratosférica  e RESERVE com antecedência!

Se quiser ver mais fotinhos da minha trip, confere lá no meu instagram @lucieda !

Até quinta, com os melhores drinks de Buenos!!!

 

Foto destaque: Celso Barreto
Foto 1: divulgação
Foto 2: The Lost Asian

Trufas Brancas

Parece impossível, mas as trufas brancas são ainda mais raras e saborosas do que as já apreciadas trufas negras. Elas possuem um aroma forte e único.

As melhores trufas do mundo são encontradas em Alba e podem vir a custar 15 mil dólares o quilo, embora esse não seja o valor máximo já pago por um exemplar do produto. Devido a sua pureza, 1K da trufa branca pode chegar a valer mais do que cem mil euros em leilões. A nossa sorte é que apenas uma pequenina quantidade de trufa já é suficiente para que a gente possa experimentar seu sabor e aroma divinos.

Foto: reprodução

Receitinha de Feriado

Essa receitinha do mega chef Claude Troisgros é super fácil de preparar e não é muito calórica. Comidinha show para esses dias de feriado em que a gente faz qualquer negócio para não ter muito trabalho.

Carpaccio de Shitake

Ingredientes:

150g de shitake fresco
Sal
Pimenta
Coentro em grão
Limão siciliano no sal picado (veja mais em baixo como fazer)
Suco de dois limões sicilianos
Suco de um limão
120ml de azeite extra-virgem
12 azeitonas pretas picadas
4 fatias de pão de forma para os croutons
Cebolinha francesa picada
80g de parmesão Grana Padano

Modo de preparo:

Corte os shitakes em fatias finas e disponha no prato. Tempere com o sal, a pimenta e o coentro em grão. Coloque o suco de limão e regue com azeite. Ponha o limão no sal. Finalize com azeitonas, croutons e cebolinha francesa. Rale parmesão por cima.

Limão Siciliano no Sal

Modo de preparo:

Corte os limões em 4 pedaços, coloque em um vidro e cubra de sal. Ponha o pote fechado na geladeira por no mínimo um mês e mexa de vez em quando. Após um mês, pegue o limão, retire a polpa, lave bem na água corrente e pique.

Fotos: reprodução

Bar dos Descasados

Localizado no Hotel Santa Teresa do renomado grupo Relais & Chateaux, o Bar dos Descasados foi a minha última excelente descoberta. Apesar do bar estar funcionando há muito tempo, eu só tinha ido lá numa festa fechada. Desta vez escolhi uma ensolarada tarde de sábado.

O espaço sob os arcos da antiga senzala deu lugar ao aconchegante Lounge. Vários sofás, poltronas e camas “surubão” fazem parte da decoração estilo relax em Bali ou coisa parecida. Do lado de fora, a vista para a enorme vegetação e algumas casas de Santa Teresa, me deu a vaga impressão de estar na Toscana.

A comida assinada pelo chef francês Damien Montecer é fantástica, um quitute mais saboroso do que o outro. Tudo acompanhando por um aromático vinho branco proveniente do Vale do Loire fez da tarde um momento ímpar. Como podem perceber a minha visita ao Bar dos Descasados foi um mini passeio pelo mundo ao pôr do sol.

Depois das 18h rola um happy hour quentíssimo. Ambiente perfeito para você se divertir com a sua cara metade ou encontrar a outra metade da laranja por lá.

Bar dos Descasados
Rua Almirante Alexandrino, 660 – Rio de Janeiro.
tel. 2221-1406.