Eu e a Confraria

Pense numa pessoa feliz…

Que honra compartilhar minhas ideias, dicas e criações com vocês!

Sou economista, produtora de TV e cinema, recém ex-produtora workholic plimplim e há poucos meses atrás, decidi mudar de vida, fazer yoga e passar um tempo em Itaipava, onde tenho minha casa de campo.

Sim, eu faço parte dessa geração que trabalha movida a brilho nos olhos! E no último ano, eu fiquei mais fosca que carro envelopado!

Enfim, entre um “ado mukha” – posição do cachorro no Yoga – e outro , a questão era a mesma: “como vou resgatar a paixão pelo meu trabalho de novo?”.

Até que a poeira mental baixou e tudo ficou claro. Decidi compartilhar minhas duas alegrias: produzir e receber. Para dar início a essa nova fase de vida, criei a Confraria Imperial, o primeiro restaurante pop up de Petrópolis que tem como objetivo conectar pessoas que compartilham a apreciação por comer e o entusiasmo por cozinhar.

Com jeitão de encontro gastronômico, a Confraria celebra a chegada de cada estação do ano e seus alimentos frescos. A cada encontro, um novo amigo chef será convidado para proporcionar aos convidados uma experiência renovada, criada a partir do uso dessas matérias primas de verdade, sabe? Daquelas que preservam a cor, o sabor e o cheiro porque são produzidas com o amor e a qualidade dos produtores locais.

A Confraria é uma bebezinha consciente!!!

Então, vamos falar da primeira edição?

Guilherme Ribeiro, eu e Pedrinho Prado.

O primeiro encontro aconteceu no dia 15 de agosto, celebrando a estação inverno, no antigo espaço da Adega dos Frades, em Itaipava, para 30 convidados. Para a nossa sorte, os amigos cozinheiros Guilherme Ribeiro (sócio do badalado Pe’Ahi, na Gávea) e Pedrinho Prado (ator e ex-proprietário do charmoso e nostálgico restaurante São Sebastião, no Leme) toparam na hora viver essa experiência.

O jantar harmonizado foi composto por 02 entradinhas, 01 salada, 03 pratos principais e 02 sobremesas. Cada curso foi servido a todos simultaneamente, pois não só desejávamos ouvir aquele “hummmmm….” coletivo, como também interagir e compartilhar nossas diferentes percepções e sabores dos mesmos ingredientes e vinhos degustados.


.

E a decoração?!… Que desafio!

A nossa missão, minha e da Tamara Bernardes (irmã de alma, produtora e florista), era descaracterizar aquele ambiente como espaço comercial. Ou seja, transformar o restaurante fechado há 5 anos, com carinha de depósito pelo desuso, em nossa casa!
Aproveitamos que o restaurante era dividido em dois ambientes para criar a proposta de sala de estar e sala de jantar.

Na sala de estar, a fonte de inspiração inicial foi a lareira. A partir dela, selecionamos bancos rústicos, almofadas, pufes, luminárias, mesas de apoio e um tapete kilim turco para criar o aconchego. A disposição dos móveis foi milimetricamente calculada, porque depois do jantar, o tapete se transformaria em nossa pista de dança.

Para a decoração da sala de jantar, não economizamos na mistura de peças. Conseguimos criar uma bossa entre o tradicional e o informal. Eram castiçais de ferro, pinhas de cerâmica, guardanapos bordados, talheres de prata, taças bico de jaca e cerâmicas coloridas todos juntos e misturados.

Ufa! Foi uma correria danada, mas ficou uma graça!… Vejam as fotinhos!

Arranjos by Tamara.

Xiiiiiii, virei mãe babona…. rs

Pra fechar, após o jantar, voltamos para a sala de estar e…. uns dançaram até o pé cansar, outros até o sol raiar…

Que horas eu cheguei em casa?

Essa pergunta eu respondo em outro post… 😉

A segunda edição da Confraria acontecerá na estação primavera e o formato será renovado.

Afinal, odiamos mesmices!

Fotos: Dupla Exposição
Móveis e Objetos de decoração: Arteiro

O Tradicional Solar dos Presuntos

Um dos lugares “tem que ir” em Lisboa é o fantástico e tradicional Solar dos Presuntos. Talvez um restaurante com esse nome não se torna-se “in” no Rio de Janeiro, mas por aqui é um dos mais concorridos e, para garantir uma mesinha no local, deve-se reservar com uma certa antecedência.

Entre as delícias do Solar está o inigualável queijo Serra Estrela português… Imperdível!

Mas não é só de queijo que vive o “presunto”, tudo neste restaurante é digno de abrir o botão da calça para comer um pouco mais. E como ao comer, queremos também beber, a extensa carta de vinhos – portugueses e de outras nacionalidades – consegue harmonizar com perfeição qualquer prato escolhido no cardápio.

Sei que existem outros e mais modernos restaurantes no topo da culinária de Lisboa, ainda assim, o tradicional Solar dos Presuntos está entre os melhores.

Endereço: Rua das Portas de Stº Antão, 150 (junto ao Elevador do Lavra)
Link: http://www.solardospresuntos.com/

Fotos: Felipe Belchior e Marcella Castro

Melhor Feijoada de Frutos do Mar… Sem Crescer o Nariz

Ao chegar em Lisboa, uma das primeiras coisas que me veio a mente foi: “Vou comer muito!”… E foi com esse pensamento que o primeiro lugar que visitei foi um restaurante, o Pinóquio, na Liberdade.

Esse restaurante não é muito conhecido, apesar de estar localizado numa mais áreas mais movimentadas da cidade, é frequentado por muitos portugueses, o que ao meu ver é bem bacana, já que restaurante que tem gente local, é restaurante bom. Apesar do nome, não mente, nem cresce o nariz, quem diz que é uma das comidas mais saborosas de Lisboa.

Neste dia, para almoçar, escolhi essa Feijoada de frutos da mar. MARAVILHOSA não chega a ser um adjetivo à altura para descrever como esse prato é demais! Dentro dela: lagosta, camarão, um marisco que lembra o mexilhão, mas tem gostinho de vôngole, feijão branco, pimentão vermelho e muitos temperinhos. Para acompanhar, arroz branco, e se quiser, dá para pedir uma batatinha frita. Pé na jaca, eu sei, mas às vezes pode!

Localizado em plena Praça dos Restauradores, poucos passos do meu hotel, o Pinóquio é um restaurante especializado em mariscos e uma cervejaria, mas por não ser muito fã da bebida de cevada, optei por um vinhozinho português bem simpático.

Endereço : Praça Restauradores 79 – LISBOA

Foto: Felipe Belchior

Inspire-se: Puffs como Mesa de Centro

Uma ideia estilosa e super funcional é usar o puff como mesa de centro. Além de servir como apoio, ele também pode ser mais uma opção de lugar para sentar ou até, para esticar a perna num momento mais relax. O bacana é que dá para brincar com a imaginação, usar mais de um único puff e explorar cores diferentes.

Fotos: reprodução

Verão em Paris…l’été!

Os dias ficaram mais longos, as noites mais alegres e as cores mais vibrantes. Vive l ‘été! O astral dos franceses, sobretudo dos parisienses, dá uma ligeira melhorada… ah, le soleil! Já podemos observar as roupas mais claras e coloridas nas ruas – já que na maior parte do ano o preto impera. O hit desse verão serão as rendas brancas, os listrados e os jeans rasgados. O chapéu de Panamá, sempre! Ai que delícia! Muitos sorvetes! A única coisa que faz realmente falta na maioria das brasseries e restôs é o ar condicionado. Eles acreditam que isso é uma característica “à la americaine’, pode?!

Enfin, vamos aproveitar que esse calorzinho porque passa rápido!

Fotos: reprodução