Eu e a Confraria

Pense numa pessoa feliz…

Que honra compartilhar minhas ideias, dicas e criações com vocês!

Sou economista, produtora de TV e cinema, recém ex-produtora workholic plimplim e há poucos meses atrás, decidi mudar de vida, fazer yoga e passar um tempo em Itaipava, onde tenho minha casa de campo.

Sim, eu faço parte dessa geração que trabalha movida a brilho nos olhos! E no último ano, eu fiquei mais fosca que carro envelopado!

Enfim, entre um “ado mukha” – posição do cachorro no Yoga – e outro , a questão era a mesma: “como vou resgatar a paixão pelo meu trabalho de novo?”.

Até que a poeira mental baixou e tudo ficou claro. Decidi compartilhar minhas duas alegrias: produzir e receber. Para dar início a essa nova fase de vida, criei a Confraria Imperial, o primeiro restaurante pop up de Petrópolis que tem como objetivo conectar pessoas que compartilham a apreciação por comer e o entusiasmo por cozinhar.

Com jeitão de encontro gastronômico, a Confraria celebra a chegada de cada estação do ano e seus alimentos frescos. A cada encontro, um novo amigo chef será convidado para proporcionar aos convidados uma experiência renovada, criada a partir do uso dessas matérias primas de verdade, sabe? Daquelas que preservam a cor, o sabor e o cheiro porque são produzidas com o amor e a qualidade dos produtores locais.

A Confraria é uma bebezinha consciente!!!

Então, vamos falar da primeira edição?

Guilherme Ribeiro, eu e Pedrinho Prado.

O primeiro encontro aconteceu no dia 15 de agosto, celebrando a estação inverno, no antigo espaço da Adega dos Frades, em Itaipava, para 30 convidados. Para a nossa sorte, os amigos cozinheiros Guilherme Ribeiro (sócio do badalado Pe’Ahi, na Gávea) e Pedrinho Prado (ator e ex-proprietário do charmoso e nostálgico restaurante São Sebastião, no Leme) toparam na hora viver essa experiência.

O jantar harmonizado foi composto por 02 entradinhas, 01 salada, 03 pratos principais e 02 sobremesas. Cada curso foi servido a todos simultaneamente, pois não só desejávamos ouvir aquele “hummmmm….” coletivo, como também interagir e compartilhar nossas diferentes percepções e sabores dos mesmos ingredientes e vinhos degustados.


.

E a decoração?!… Que desafio!

A nossa missão, minha e da Tamara Bernardes (irmã de alma, produtora e florista), era descaracterizar aquele ambiente como espaço comercial. Ou seja, transformar o restaurante fechado há 5 anos, com carinha de depósito pelo desuso, em nossa casa!
Aproveitamos que o restaurante era dividido em dois ambientes para criar a proposta de sala de estar e sala de jantar.

Na sala de estar, a fonte de inspiração inicial foi a lareira. A partir dela, selecionamos bancos rústicos, almofadas, pufes, luminárias, mesas de apoio e um tapete kilim turco para criar o aconchego. A disposição dos móveis foi milimetricamente calculada, porque depois do jantar, o tapete se transformaria em nossa pista de dança.

Para a decoração da sala de jantar, não economizamos na mistura de peças. Conseguimos criar uma bossa entre o tradicional e o informal. Eram castiçais de ferro, pinhas de cerâmica, guardanapos bordados, talheres de prata, taças bico de jaca e cerâmicas coloridas todos juntos e misturados.

Ufa! Foi uma correria danada, mas ficou uma graça!… Vejam as fotinhos!

Arranjos by Tamara.

Xiiiiiii, virei mãe babona…. rs

Pra fechar, após o jantar, voltamos para a sala de estar e…. uns dançaram até o pé cansar, outros até o sol raiar…

Que horas eu cheguei em casa?

Essa pergunta eu respondo em outro post… 😉

A segunda edição da Confraria acontecerá na estação primavera e o formato será renovado.

Afinal, odiamos mesmices!

Fotos: Dupla Exposição
Móveis e Objetos de decoração: Arteiro

Inspire-se: Puffs como Mesa de Centro

Uma ideia estilosa e super funcional é usar o puff como mesa de centro. Além de servir como apoio, ele também pode ser mais uma opção de lugar para sentar ou até, para esticar a perna num momento mais relax. O bacana é que dá para brincar com a imaginação, usar mais de um único puff e explorar cores diferentes.

Fotos: reprodução

Ideias de Páscoa

Acho a Páscoa uma data super festiva e uma boa oportunidade de reunir a família e os amigos. Para isso, é claro que precisamos nos preparar um pouquinho, ainda mais quando se tem crianças em casa. Afinal, os pequenos se divertem com as brincadeiras e a decoração do “dia do coelhinho”.

Uma brincadeira que não pode faltar é a de caçar os ovinhos. Sei que ovos de Páscoa têm precinhos salgadinhos, por isso a minha dica é comprar aquele saco grande que vem vários ovinhos. Assim a brincadeira rende e a criançada fica ainda mais feliz. Outra ideia legal – para os kids menores – é fazer as pegadas do coelhinho no chão até os locais onde os ovinhos estarão escondidos e, para os maiores, uma carta com dicas de como achar os deliciosos “tesouros de chocolate”.

Para quem não sabe como fazer as pegadas do coelhinho, basta passar aquelas bolinhas de algodão no talco ou na farinha e marcar o chão como se fosse a pegada do coelho.

Bom, com a parte da brincadeira resolvida que tal fazer uma decoração incrível para receber os convidados no almoço de Páscoa? Dá uma olhada nessas ideias da Martha Stewart e nas minhas dicas de como fazer.

Bacana o guardanapo dobrado em formato de orelha de coelho. Isso, numa mesa bem posta com um arranjo legal, já fica incrível!!

Para fazer essa árvore, você vai precisa de: um vaso, espuma floral, musgo, galhos secos, fitas, tule cortado em círculos para fazer um saquinho e ovos cozidos pintados. Primeiro, coloque o floral no vaso, cubra de musgo e espete os galhos. Depois, coloque coloque os ovos pintados da cor que desejar no tule e amarre a ponta com a fita de cetim formando um saquinho de ovo. No final, basta prender a outra ponta da fita na árvore.

Essa ideia é o máximo e fácil de fazer. Pegue o ovo cru, quebre a ponta e retire toda a clara e a gema de dentro. Lave a casca com MUITO cuidado para não quebrar. Se quiser, pinte as cascas da cor que desejar. Depois, você pode optar pela minivela de rechaud – aquelas bem pequenininhas – ou as flores. Lindinho, né?!

Fotos: reprodução