Seja bem vinda, Lu Moreda!

Depois de quase 3 semanas fora do ar devido a um problema interno, o Semanier está de volta com uma grande novidade. Agora, além das deliciosas matérias da nossa amada Dafne Grozovsky, de hoje em diante, teremos na família Semanier, outra mulher incrível com seus posts descolados, divertidos e inteligentes, a Lu Moreda.

Essa minha amiga/irmã tão querida, adora ter novas ideias e realiza-las. E é com carisma, simpatia, coragem e sede por fazer e aprender que Lu coleciona sucessos no seu currículo profissional e ainda mais amigos e admiradores no seu currículo pessoal.

Lu é a criadora e idealizadora do projeto Confraria Imperial.

Pois é, o site estava fora do ar na primeira edição do projeto, por isso ainda não falei aqui sobre o assunto, então ninguém melhor do que a Lu para nos falar sobre essa proposta despretensiosa que virou sua menina dos olhos e que traz um novo conceito quando o assunto é receber.

Lu, sei que vou me divertir e me encantar com suas histórias… Manda ver!

bjos

Foto: Dupla Exposição

Homenagem ao Dia da Mulher

Esse texto da Martha Medeiros é uma homenagem do Semanier aos mulherões que vemos todos os dias por aí. Parabéns para todas nós!!

O mulherão

Peça para um homem descrever um mulherão. Ele imediatamente vai falar do tamanho dos seios, na medida da cintura, no volume dos lábios, nas pernas, bumbum e cor dos olhos. Ou vai dizer que mulherão tem que ser loira, 1,80m, siliconada, sorriso Colgate.

Mulherões, dentro deste conceito, não existem muitos: Vera Fischer, Leticia Spiller, Malu Mader, Adriane Galisteu, Lumas e Brunas. Agora pergunte para uma mulher o que ela considera um mulherão e você vai descobrir que tem uma a cada esquina.

Mulherão é aquela que pega dois ônibus por dia para ir ao trabalho e mais dois para voltar, e quando chega em casa encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.

Mulherão é aquela que vai de madrugada para a fila garantir matricula na escola e aquela aposentada que passa horas em pé na fila do banco para buscar uma pensão de 100 Reais.

Mulherão é a empresária que administra dezenas de funcionários de segunda a sexta, e uma família todos os dias da semana.

Mulherão é quem volta do supermercado segurando várias sacolas depois de ter pesquisado preços e feito malabarismo com o orçamento.

Mulherão é aquela que se depila que passa cremes, que se maquia, que faz dieta, que alaque usa salto alto, meia-calça, ajeita o cabelo e se perfuma, mesmo sem nenhum convite para ser capa de revista.

Mulherão é quem leva os filhos na escola, busca os filhos na escola, leva os filhos para a natação, busca os filhos na natação, leva os filhos para a cama, conta histórias, dá um beijo e apaga a luz.

Mulherão é aquela mãe de adolescente que não dorme enquanto ele não chega e que de manhã bem cedo já está de pé, esquentando o leite.

Mulherão é quem leciona em troca de um salário mínimo, é quem faz serviços voluntários, é quem colhe uva, é quem opera pacientes, é quem lava roupa pra fora, é quem bota a mesa, cozinha o feijão e à tarde trabalha atrás de um balcão.

Mulherão é quem cria filhos sozinha, quem dá expediente de oito horas e enfrenta menopausa, TPM, menstruação.

Mulherão é quem arruma os armários, coloca flores nos vasos, fecha a cortina para o sol não desbotar os móveis, mantém a geladeira cheia e os cinzeiros vazios.

Mulherão é quem sabe onde cada coisa está, o que cada filho sente e qual o melhor remédio pra azia.

LUMAS, BRUNAS, CARLAS, LUANAS E SHEILAS: Mulheres nota dez no quesito lindas de morrer, mas MULHERÃO É QUEM MATA UM LEÃO POR DIA.

Martha Medeiros

Quem disse que eu queria ser Super Mulher?

Lá se foram mais de quarenta anos após o divisor de águas das nossas vidas: o simbólico evento de protesto das mulheres que foram às ruas queimar soutien. Sinto muito, mas se tivessem me pedido não colocaria o meu naquela fogueira. Jamais!

Ok, agradeço minhas corajosas companheiras por protestaram contra a imposição de padrões de beleza. Bacana vocês terem lutado por direitos iguais aos dos homens. Sem dúvida um avanço para todas nós. Certamente nossas avós (ou bisavós) não ousariam almejar os mais altos cargos nas diretorias de grandes corporações. Imagine então presidir o Superior Tribunal Federal ou comandar o país.

Mas, por outro lado, por que será que ainda tenho a sensação de estarmos (todas nós, super-mulheres supostamente bem resolvidas) em um carro desgovernado? Vamos falar a verdade. Não tenho dúvida de que enquanto a gente vivia quietinha na nossa doce caverna simplesmente varrendo chão e cuidando de nossos neandertais, tudo era muito mais fácil. Os papéis eram tão mais claros! Agora danou-se. Nós, mulheres, presas a uma imagem de modernidade e multipapéis, que nos transforma em (nada mais do que!) uma baita 1001 utilidades. E enquanto isso, o homem continua neandertal, cuspindo no chão e achando que mora em uma caverna.

Talvez seja um delírio, mas desconfio que a vida na caverna era mais equilibrada…

Fotos: reprodução

Mulher Amiga ?

É incrível como nós, pobre mulheres, acreditamos nos clichês que nos abastecem durante toda a vida. O pior deles é que não existe mulher capaz de ser amiga da outra.

Os anos passam, mas a pseudo filosofia feminina de que toda mulher tem inveja da outra persiste. Avós, mães e amigas perpetuam o “ensinamento” disseminando para as outras o discurso de que mulher só compete, mulher não respeita o homem da outra e mulher isso e mulher aquilo.

E assim crescemos ouvindo e absorvendo essas bobagens. Mas com o passar dos anos, nos momentos difíceis, vemos que nem sempre nos basta uma mãe, uma irmã, um marido ou um prozaquizinho.

Um dia nos damos conta que temos amigas que são amigas na saúde e na doença, que são capazes de dar mais colo do que nossa própria mãe, que amam nosso filho como se fosse o dela e, acima de tudo, mesmo na maior seca – ou no pior dos níveis alcóolicos – seriam incapazes de devorar o nosso homem.

Diante de tal constatação, só tenho uma coisa a dizer:

AMO MINHAS AMIGAS!

P.S.: Mande esse post para uma amiga e a faça feliz :)

Fotos: reprodução