Osso Carnicería y Salumeria, mais uma dica de Lima.

IMG_20150906_151623

Mais uma grata surpresa, no pulo de 4 dias que dei em Lima, foi o inusitado restaurante Osso. Trata-se de um açougue refinado (ou seria uma loja de carnes?) e um restaurante descontraído – e super descolado – onde podemos degustar os maravilhosos cortes de carne vendidos no açougue.

Ambos, o açougue e o restaurante comandados pelo Chef Renzo Garibaldi, são o máximo. O primeiro é um charme para conhecer e levar os produtos para comer, pena que não podemos trazer as carnes para o Brasil, mas vontade não me faltou. Já o segundo, como contei no começo do post, é descontraído e ultra descolado, perfeito para um almoço entre amigos. A decoração leva a cozinha aparente com os móveis de madeira e o ambiente confortável.

O bacana de toda estrutura é que lá eles comercializam, de forma sustentável, carnes de primeira qualidade provenientes de animais que foram tratados com o máximo de respeito.

A comida é excelente!! Não perca o hamburquinho que pode ser pedido como entrada para a mesa toda e depois, sugiro que se aventure numa carne diferente e esqueça a mesmice do filet mignon por uma refeição e pratique o amor pela diferenciação da suculenta carne vermelha.

Os vinhos são espetaculares e preço da carta de vinhos é bom se comparado com outros restaurantes tops peruanos. A comida também não é das mais caras – mas lembre-se que com o alto valor do dólar devemos ficar em alerta, ainda assim, vale a experiência. Inclusive, a experiência é válida do começo ao fim, “startando” com Pisco Sour de aperitivo (afinal, isso é o Peru!), passando pelas entradinhas, já com um vinhozinho tinto para harmonizar, se deliciando com o prato principal e terminando nas fantásticas sobremesas. Coisa de louco guloso e carniceiro!

Ao visitar o Osso, apesar de ter sido um restaurante muito bem recomendado, não fazia ideia que estava comendo num dos melhores restaurantes da América Latina. Foi ou não uma grata surpresa?

IMG_20150906_134001

IMG_20150906_140945

65842768-093b-4c83-8553-3f7f356041c8

IMG_20150906_154250

d7ad7698-48e9-4b84-8c83-3441449aab80

Fotos: de todos da mesa

A minha Buenos Aires é dos argentinos! – Aramburu

Voltei!

O motivo da ausência: fui comemorar meu aniversário com maridinho em Buenos Aires.

A justificativa é boa e estou perdoada, né?

Bem, foram alguns dias de sossego, temperatura agradável, modelitos “comfy chics”,previamente montados e fotografados, para não perder tempo escolhendo as peças durante a viagem,  muito bate perna para gastar as calorias da comilança e cineminha quase todo dia.

Essa semana darei algumas dicas de revirar os olhinhos!

Pra começar, esqueça La Cabrera, Las Lilas, Sucre, Faena … e todo aquele roteiro manjadão. Xô mesmice!

Vamos à Argentina dos argentinos!

A dica TOP de restaurante dessa viagem é o Aramburu Restó, em San Telmo.

Dê seu jeito e grave esse nome! Pra facilitar ainda mais a sua vida, a pronúncia correta é “Arambúru” e não “Aramburú”. 😉

O proprietário e chef Gonzalo Aramburu é de um rigor na execução e criação do menu que te faz desejar percorrer os 19 passos (como ele define o total de pratos que será oferecido) de novo  no dia seguinte. O restaurante está em 14o lugar no 50 melhores restaurantes da América Latina. E não é à toa! O atendimento é tipo exportação, a harmonização deixa qualquer um de queixo caído e ele conseguiu unir a prepotência  esquizofrênica da cozinha molecular com a comida caseira argentina.

Ah, se você não faz a linha phyna(o) e adora bater aquele pratão, pode ficar  traaaaaaanquila(o); você não sairá de lá com fome!

Pra você entender que esse lugar realmente é imperdível, a precisão vai além da cozinha. A concepção arquitetônica também foi milimetricamente calculada. O espaço é simples, minimalista, tem cerca de 15 mesas e um balcão que fica colado na cozinha para você poder observar tudo.  A cozinha, por sinal, fica mais alta que o nível do salão, dando a impressão de que os cozinheiros são deuses. Alguns até são! Com todo respeito, marido. 😉

Ainda sobre a decoração, que é um ponto importantíssimo na construção dessa experiência,  as paredes são grafite e um único armário do chão ao teto habita o salão, expondo todas as taças e louças que serão usadas. A iluminação destaca a comida e não quem a come, é uma luz totalmente direcionada ao centro das mesas onde o prato é servido. Ah, e vc de quebra ainda fica linda(o), porque a mesa vira um rebatedor e deixa qualquer pele um pêssego, o que é perfeito para o momento sedução.

Uma foto para ilustrar como a iluminação é fantástica.

 

VAMOS AO QUE INTERESSA!

Esse lombinho de porco “embaixo da moita”, foi apenas o melhor da vida.  Jésuis!

E aí, babou?

Dá uma olhadinha no menu da estação primavera!

É um abuso de ingredientes, texturas e sabores. Tem quinoa, ave, peixe, flores, foie gras, mostarda, vieira, carne de boi, caramelos, pepino, crosta, espuma, rolinhos, “gravetos”, caldas, “pastilhas”, sorbets… Uma loucuuuuuuura!

Foi, né? Acho que te convenci.

Pra fechar: leve dinheiro, pague em pesos, o cambio oficial cobrado pelo cartão de crédito deixa a conta estratosférica  e RESERVE com antecedência!

Se quiser ver mais fotinhos da minha trip, confere lá no meu instagram @lucieda !

Até quinta, com os melhores drinks de Buenos!!!

 

Foto destaque: Celso Barreto
Foto 1: divulgação
Foto 2: The Lost Asian

Parte III: Um Pulo de 4 Dias em Lima – Astrid y Gastón

base_image

A estrela gastronômica do feriado em Lima foi o renomado Astrid y Gastón Casa Moreira do chef peruano Gastón Acurio, um dos melhores chefs do mundo. O Gastón é casado com a Astrid e daí surgiu o nome do restaurante que atualmente é comandado pelo badalado chef Diego Muñoz.

Bem antes de resolver ir a Lima, muitas pessoas já tinham me falado da loucura culinária que é o lugar. Ao fazer a reserva, quase não acreditei quando soube que o menu degustação traz 30 elaborações e comecei a imaginar – olha a gula! – como seria degustar 30 delícias criadas pelo restaurante top 14 do mundo.

Consegue imaginar?!

Bom, eu na época vislumbrei uma comida boa, mas nem no meu melhor sonho de comilona, pensei que comeria tão bem. Inclusive, não se trata de uma simples comida, mas sim, de uma experiência gastronômica.

Localizado em uma antiga “hacienda” peruana, a estrutura da casa foi mantida, mas pitadas contemporâneas deram o tempero exato para que os olhos de cada convidado fossem aguçados também pela arquitetura. E foi na bela varanda da centenária fazenda que a experiência começou.

Lá provei e me deliciei com saborosos e inesperados finger foods. Cada um era uma explosão de novidades dentro da minha boca. Mas a farra não parou por aí, depois de uma rápida visita a cozinha, onde chefs e sous chefs preparavam os pratos com perfeição e muita energia, fui para mesa no salão principal.

Já adequadamente sentada, os pratos começaram a chegar e foi difícil escolher o melhor, acho que não consigo escolher nem os 3 melhores. Gastón brinca com sabores e produtos inusitados em suas elaborações que passeiam até pela carne do pombo e do cuy, uma espécie de porquinho da índia.

Falando assim, muitas pessoas desistiriam de experimentar, mas segue meu conselho: abra a mente e siga em frente. Você vai se surpreender!

Ah! Vale pedir o menu harmonizado. Nele não só de vinho vive um comilão. Bebidas como grapa fazem uma ótima dobradinha com o prato e surpreende o paladar.

E peço desculpa por não ter fotos das sobremesas, não deu tempo de tirar.

Slide1

Slide2

Slide3

Slide4

Slide5

Slide6

Fotos: Marcella Castro

Um Pulo em Lima

10941871_794823473940389_4903194059909007837_n

Neste último feriado fui conhecer Lima no Peru. Por dica de uma amiga querida, que queria retornar a essa capital tão simpática, nosso grupo – 4 casais – resolveu passar o Feriado da Independência na Cidade dos Reis. E para minha felicidade, lá se come como um Rei (ou no meu caso, como uma rainha gulosa).

Imagina uma trupe de 8 adoráveis amigos gourmands que amam a arte da culinária reunidos em Lima?!

Pois é, juntamos a nossa fome com a vontade de comer e nos aventuramos nesta orgia gastronômica.

Nos próximos dias, vou postar dicas e lugares bacanas que considero imperdíveis. Mas não pensem que só de comida, vive-se no Peru. É super fácil se encontrar maravilhada pelas ruas de Miraflores, bairro que, junto de San Isidro e Barranco, é um dos os points cobiçados da cidade.

Miraflores é lindinho em todos os sentidos, as ruas são limpas, o povo é agradável, os jardins são floridos e muito bem arrumados, tem até arranjo de flor pendurado nos postes. E para colorir ainda mais esta bela cidade, tem o artesanato local… Uma loucura! Alimentei meus olhos com a gama de cores presentes nas Artesanías Peruanas: mantas, bolsas de palha, pulseirinhas e bijuterias, que vão do branco ao preto, passando por grande parte da cartela Pantone. Pirei!

Embora os 3 bairros sejam os mais descolados de Lima, o Centro Histórico não deixa nada a desejar. Super vale passear na Plaza das Armas e suas construções antigas com seus charmosos “balcones”, uma espécie de baywindow de madeira ou varandinha acoplada aos prédios, também é bacana, tirar foto do Palácio do Governo, na Catedral, e visitar a Igrejinha Rosa do Convento do Santo Domingo, onde tem uma imagem belíssima da Santa Rosa de Lima.

Amanhã mais dicas deste lugar que me encantou…

Foto aérea de Miraflores - reprodução.

Foto aérea de Miraflores – reprodução.

As cores do Peru.

As cores do Peru.

Essas mantas ficam lindas na decoração.

Essas mantas ficam lindas na decoração.

Plaza das Armas e os balcones.

Plaza das Armas e os balcones.

Convento Santo Domingo com a Imagem da Santa Rosa de Lima - comprei um terço dela com cheirinho de rosa LINDO!

Convento Santo Domingo com a Imagem da Santa Rosa de Lima – comprei um terço dela com cheirinho de rosa LINDO!

Palácio do Governo

Palácio do Governo

Foto 1: reprodução

Caffè Stern: um italiano “magique”

Foi ali que de 1834 a 2008 funcionava o atelier gráfico e de impressões Stern – classificado como Monumento Histórico . Há mais de dois anos o local foi comprado por David Lanher, um descobridor de lugares mágicos, Philippe Starck revestiu o lugar com suas idéias e, como sempre, soube preservar a alma desse espaço histórico com o seu touque de modernidade. O restaurante propõe a essência da cozinha veneziana onde Massimiliano Alajmo, um dos melhores jovens chefs italianos, dá uma interpretação clássica e ao mesmo tempo contemporânea à gastronomia italiana. Os vinhos são propostos por Mirko em perfeita harmonia com os pratos.

Tudo ali foi pensado e delicadamente proposto. Não deixe de folhear o livro do chef com as fotos e receitas dos pratos. Imperdível. Mas imperdível mesmo a sobremesa com um chocolate que vem na caneca.

O livro também está a venda. Dica: faça reserva com antecedência.

E tenha a certeza que ao sair de lá terá experimentado um momento maravilhoso!

Caffè Stern. 47, passage des Panoramas 75002 Tel. 01 75 43 63 10

Fotos: Dafne Grozovsky – Paris Branchée